Pioneirismo Português

Nancy Rodrigues Garcia Pires
nancy@cananet.com.br


    Portugal foi a primeira nação européia a dar início as Grandes Navegações. Este fato relaciona-se a uma série de fatores. Entre eles: sua posição geográfica privilegiada – a cidade de Lisboa era parte de uma rota comercial marítima que saía da Península Itálica – isto, sem dúvida, favoreceu a burguesia portuguesa que, com o objetivo de ampliara seus negócios também financiará o processo de expansão marítima. Alem disto, podemos ainda observar o desenvolvimento das técnicas de navegação, incentivado pelo Infante D. Henrique.


Mas o fator fundamental para explicar tal pioneirismo foi, sem dúvida, a formação do Estado português, ocorrendo uma centralização precoce do poder, indispensável ao extraordinário projeto da expansão marítima.


A conexão entre a expansão ultramarina e a formação do Estado Moderno apresenta-se defendida primorosamente na obra “Portugal e Brasil na crise do antigo sistema colonial (1777-1808) do historiador Fernando Antonio Novaes.